quem somos

QUEM SOMOS







O Casa Amarela 5B -Jornal Online surge da vontade de vários artistas, de, num esforço conjunto, trabalharem no sentido de criar uma relação forte com o público e levando a sua actividade ao seu conhecimento através do seu jornal online.

Este grupo de artistas achou por bem dedicar o seu trabalho pintorNelsonDias, https://www.facebook.com/pages/Nelson-Dias/79280420846?ref=hl cuja obra terá sido muito pouco divulgada em Portugal, apesar de reconhecido mérito na banda desenhada, a nível nacional e internacional e de várias vezes premiado em bienais de desenho e pintura.


Direcção e coordenação: Maria João Franco.
https://www.facebook.com/mariajoaofranco.obra
contactos:
franco.mariajoao@gmail.com
+351 919276762


Friday, December 19, 2014

Thursday, November 27, 2014

Arte de Bolso - Galeria Sete - Coimbra


Colectiva de Natal no MAC


Monday, November 17, 2014

No centenário de LUIS DOURDIL


Saturday, November 15, 2014


Monday, November 3, 2014

MOSTRA DE ARTE INTERNACIONAL - MATERA / ITÁLIA





 Organização de Pino Nicoletti
Abre hoje 
em Matera - Itália

https://www.facebook.com/groups/363918313633066/?fref=ts

Saturday, October 18, 2014

David de Almeida









Morreu  o artista gravador David de Almeida, um grande amigo que levou a gravura a um domínio minimalista esplendoroso. Aqui fica o meu pesar e a notícia para outros pares. Há alguns anos tive oportunidade de acompanhar por dias David de Almeida, no seu atelier, estudando, com as suas obras e as suas palavras (conceitos), todo aquele processo criativo. A seu pedido, viera para ver e saber se teria interesse técnico e cultural em escrever um livro sobre aquela produção. Foi um trabalho a que perdi o rasto, mas creio que chegou a ser publicado. 
Morreu mais um amigo, mais um homem de cultura, vítima de uma doença difícil,  deixando ao país um espólio, em colecções e museus, de grande nível no domínio da gravura, explorada na variedade dos meios e materiais, na unidade, entre a simetria e o lado geométrico do pensar que a decidia. Portugal, agora muito desatento a estas figuras e à importância do seu trabalho, assinala cada vez de forma mais baça os seus artistas, cientistas, homens do pensamento e da cultura. David de Almeida é mais um testemunho de que essa solidão no silêncio só nos acelera a decadência.


Saturday, September 6, 2014

"Os Princepezinhos de Oliveira Tavares no Palácio dos Marqueses da Praia _ Estremoz




Os Pequenos Príncipes – Historia de uma obra.
Oliveira Tavares, sempre consagrou sua obra entorno do retrato e do homem no sentido amplo.
A princípio da sua carreira Oliveira Tavares, realizou retratos realistas de homem, de mulher e criança com um realismo e cuidado com os detalhes que lhe é característico, pondo em evidência suas inegáveis qualidades gráficas. Pouco a pouco, ele envolverá seus retratos num decor que porá em evidência um aspeto pessoal ou privado da sua vida.
O Pintor amadure-se, sua pintura também.
Mantendo sempre o seu tema de eleição, o retrato, ele ruma a uma linguagem mais abstrata. Assim o artista, exprime de uma forma abstrata, refletida ou intuitivamente, a personalidade, um traço de vida ou de caracter dos seus sujeitos.
Sua obra torna-se cada vez mais rica, o individuo torna-se mais do que um ser vivo, animal, homem real ou imaginário.
Suas pinturas transformam-se em histórias de uma vida, de momentos, uma forma de expressão muito própria. O seu trabalho esta imbuído de um grande humanismo, terapêutico, próximo da psicanalise.
Assim que observamos uma pintura de Oliveira Tavares, descobrimos nela, uma história, histórias, verdadeiros romances, um pedaço de vida, um instante.
O nome da exposição é retirado do título de um dos quadros e o artista por sua vez foi busca-lo ao célebre conto de Saint Exupéry, “O Pequeno Príncipe”. Para ele sua obra tem algo deste querido personagem e é este seu mundo que ele nos convida a conhecer para que nos lembremos dos Pequenos Príncipes que há em todos nos.

Texto de JL Teixeira de Carvalho – Arquitete, Bruxelas 2014 











Thursday, September 4, 2014

“Vidas de Arrasto”, do fotógrafo Tata Regala na Casa Museu João de Deus em SB Messines
















Na Casa Museu João de Deus,
 em SB Messines

EXPOSIÇÃO
 “VIDAS DE ARRASTO”
 MOSTRA TRABALHOS FOTOGRÁFICOS DE TATA REGALA




A Exposição “Vidas de Arrasto”, do fotógrafo Tata Regala, será inaugurada no próximo dia 6 de Setembro, pelas 17h00, na Sala Polivalente da Casa Museu João de Deus, em SB Messines. A mostra estará patente ao público até ao dia 30 de Outubro.




Retratar a vida dos homens do mar, que nos arrastões ao largo da Terra Nova (Canadá) pescam, foi o objetivo do autor, que faz, simultaneamente, uma reflexão sobre a adversidade de um modo de vida comum a diversas gerações. A pesca da palmeta permite, pois, estabelecer um retrato da vida dos homens do mar, com base em pequenos textos e fotografias «alusivos a uma natureza tão ignorada» e «desafiada por homens, cuja força é apanágio para mártires, heróis, sobreviventes, numa circunstância indesejada».




Licenciado em Biologia Marinha e Pescas, pela Universidade do Algarve, João Tata Regala terminou em 2002 o Master of Philosophy em Comportamento Predatorial, pela Universidade de Liverpool. Iniciou o seu percurso artístico em 1999 com uma exposição colectiva de gravura, em Salir. Desde 2002, tem vindo a participar com regularidade em diversas mostras colectivas de fotografia na região do Algarve, com temas ligados ao universo marinho (actividades humanas, paisagens, fauna, flora, etc.). Enquanto fotógrafo com actividade regular divide-se, sobretudo, entre a fotografia comercial, artística e reportagem de actividades industriais. A mostra que agora estará patente na Casa Museu João de Deus já passou pela Biblioteca Municipal de Silves e esteve em inúmeros locais no país, como Viana do Castelo, Ílhavo, Torres Novas, Lisboa, Évora e Beja.




Formado pela vida em fotografia, Ilustração Científica, Vela e Navegação de Recreio, Teatro, entre outros, o fotógrafo considera-se «errante de profissão» e tem passado por diversas ocupações e formas de expressão.




Para mais informações poderão contactar a Casa Museu João de Deus, através do telefone 282 330 189 ou do emailcasamuseu.joaodeus@cm-silves.pt.



Thursday, August 21, 2014

ARTE ALGARVE OPEN XI















The countdown is on: The Vernissage for the huge exhibition ARTE ALGARVE OPEN XI is on. We cordially invite you to participate. Please inform your friends to come along and visit this big party for Fine Arts: Saturday, August 23, 4 pm
Use the opportunity and visit our "newest kid": ÀRVORE - it's all Algarve, a center for quality handicraft and regional products. On Saturday we invite you at 4 pm (parallel to the Vernissage of OPEN XI) to taste samples of homemade jams. Virginia Stückemann from Almancil will present her super products. Our colleague Duarte Rito will gladly show you the wide range of beautiful things, from jewelry made ​​of cork to spoons of olive wood, Medronho in ceramic bottles and so on. Finally there is in our region a shop where you can always find the nicest gifts for yourself and others. The shop is located at the entrance to the Adega Park on your right. 



descendimiento

escravo

do tempo dos deuses






A contagem decrescente continua: A Vernissage da enorme exposição ARTE ALGARVE OPEN XI está quase a começar. Convidamo-lo a participar. Por favor traga os seus amigos para se juntarem à grande festa de Belas Artes: Sábado, dia 23 de Agosto pelas 16h.
Aproveite a oportunidade e visite o nosso "novo bébé": ÁRVORE - it's all Algarve, um centro para artesanato de qualidade e produtos regionais. Convidamo-lo no sábado dia 23 de Agosto pelas 16h (paralelamente com a inauguração da OPEN XI) para provar compotas caseiras. Virginia Stückemann irá apresentar-vos os seus maravilhosos produtos. O nosso novo colega Duarte Rito terá o prazer de vos presentear com uma variedade de belos produtos, desde joalharia feita de cortiça até colheres de madeira de oliveira, passando por medronho em garrafas de cerâmica e por aí adiante. Finalmente existe na nossa região uma loja onde poderá sempre encontrar fantásticos presentes para si próprio ou para os que mais gosta. A loja está localizada na entrada da Adega Park à sua direita.
Der Countdown läuft: Die Vernissage für ARTE ALGARVE OPEN XI steht an. Wir laden Sie herzlich dazu ein! Bitte informieren Sie auch Ihre Freunde, dieses Fest der Künste ebenfalls zu besuchen. Nicht vergessen: Samstag 23. August 16 Uhr.Dann können Sie auch gleich unser „neuestes Kind“ erleben:  ÁRVORE – it’s all Algarve, ein Zentrum für Qualitäts-Kunsthandwerk und regionale Produkte.  Am Samstag laden wir Sie ab 16 Uhr (parallel zur Vernissage zu OPEN XI) zu einer Probe von hausgemachten Marmeladen ein. Virginia Stückemann aus Almancil stellt ihre leckeren Marmeladen und Brote vor. Unser Mitarbeiter Duarte Rito wird Ihnen gern die riesige Palette an schönen Dingen zeigen, von Schmuck aus Kork bis zu Löffeln aus Olivenholz, Medronho in Keramikflaschen und und und. Endlich gibt es in unserer Region einen Shop, wo Sie zuverlässig die schönsten Geschenke für sich und andere finden.  Der Shop befindet sich gleich bei der Einfahrt in den Adega-Park auf der rechten Seite.


Friday, August 8, 2014

ENCONTRO DE MEMÓRIAS de TERESA MENDONÇA na Galeria Municipal - Vila Medieval de Ourém

encontro de memórias




Maria Teresa Castro Soromenho Mendonça, nasceu em Ponta Delgada, São Miguel, Açores.  
   
Com formação em artes visuais, recebeu lições de pintura do mestre Domingues Rebêlo.  
   
Enveredou pela pintura, referenciando-se na obra do mestre Hilário Teixeira Lopes, da qual sofre forte influência.  
   
Representada pelo Espaço Cultural MAC Movimento de Arte Contemporânea, em Lisboa, desde 1996, tem vindo, através daquela instituição cultural, a realizar dezenas de exposições, no país e no estrangeiro, com incidência nos países lusófonos, nomeadamente no Brasil, Cabo Verde e Guiné-Bissau, em colaboração com diversos municípios, embaixadas e outras entidades, das quais se destacam a Sociedade de Língua Portuguesa, o Centro Cultural da Embaixada de Portugal em Cabo Verde, na cidade da Praia, o Centro Cultural da Embaixada de Portugal na Guiné-Bissau, na inauguração da Reitoria do Instituto Politécnico de Lisboa, e em varias Câmaras Municipais do continente e ilhas, sempre sob a égide do Movimento de Arte Contemporanea.  
   
Representada em diversas colecções particulares, nacionais e estrangeiras, viu, uma vez mais, o seu mérito reconhecido, tendo sido agraciada com o prémio MAC - Revelação 2007 pintura, (troféu executado pelo escultor João Duarte), pelo conjunto das obras apresentadas ao longo do ano de 2007, em 2008, Menção Honrosa M.A.C. e em 2011 Prémio Hilário Teixeira Lopes, (troféu executado pelo excultor Santos Lopes); 2012, Prémio Hilário Teixeira Lopes, 18º Aniversário, Movimento de Arte Contemporânea, (colectiva). 
   
   
1996, Centro Cultural Português, Bissau, colectiva MAC,  
   
1997, Aniversário MAC, (colectiva).  
   
2004, Aniversário Movimento de Arte Contemporânea, colectiva comemorativa do décimo aniversário.  
   
2007, Colectiva do aniversário MAC.  
   
2007, Prémio Revelação (MAC)  
   
2007, Exposição Individual, “Esta Côr de Memórias Feita”, Centro Cultural de Ponta Delgada, a convite da Câmara Municipal.  
   
2008, Menção Honrosa “MAC”.  
   
2009, Arco 16, Faro, (colectiva)  
   
2009, Galeria Peppers, Caldas da Rainha, (colectiva).  
   
2009, “60 Anos da Festa da Língua Portuguêsa”, na Régua, (colectiva)  
   
2009, Colectiva do Colégio Militar, Fiz'Art, 99.  
   
2010, IV Bienal da Poesia de Silves, (colectiva)  
   
2010, “In Motion Gallery”, (colectiva)  
   
2010, Exposição Individual “Histórias de Outras Dimensões”, Oficinas de Formação e Animação Cultural, em Aljustrel.  
   
2011, Exposição Individual, “Fragmentos de Lugares na Paisagem”, no Movimento de Arte Contemporânea.  
   
2011, Galeria Paula Cabral, “Lisboa aos Anjos”, (colectiva).  
   
2011, Galeria Arte Rio, (colectiva).  
   
2011, Galeria Pass-Partout, (colectiva).  
   
2011, Prémio Hilário Teixeira Lopes, 17º Aniversário, Movimento de Arte Contemporânea, (colectiva).  
   
2011, ATT, Galeria de Pintura, Almancil, (colectiva).  
   
2011, Colégio Militar, (colectiva).    
2012     Participação na exposição Três Salas de Lisboa na galeria MAC    
2012       Exposição individual Passagem para o mundo dos segredos no Movimento Arte Contemporanêa    
2012       Exposição Colectiva Mi-New Art Concept    
2012       ARC 16 Galeria exposição (colectiva)    
2012       Magia Imagem Galeria de Arte   MI (colectiva)    
2012       MAC  - colectiva de Natal              
2013      Colectiva de Arte Contemporânea no Centro Cultural Gil Vicente no Sardoal     
              Galeria Nova Ogiva -  ArtChallange / the Box  
2014 – Marés flutuantes – MAC Movimento Arte Contemporânea, Lisboa 
2014 – Limites para um novo amanhecer – ARC 16 Galeria – Faro  
          Encontro de Memórias - Galeria Municipal - Vila Medieval de Ourém 



contacto:
Teresa Mendonça
tm 938464019
teresamendonca1@gmail.com

link
:https://www.facebook.com/pages/TERESA-MENDON%C3%87A-artista-plastica-teresapinturablogspotcom/256075493229

Monday, August 4, 2014

VII Bienal Internacional de Gravura do Douro

Exposição individual da ANTÓNIO CANAU na VII Bienal Internacional de Gravura do Douro / 2014

António Canau
www.antoniocanau.com
comissário portugalportugal commissionercomissário portugalportugal commissioner


Comissário por Portugal.Comissário da exposição de Homenagem ao Bartolomeu Cid dos Santos.- Exposição individual.- Exposição do comissários da Bienal.-  Participa na bienal virtual - galeria pública artes digitais.- Conferência sobre a Obra de Bartolomeu Cid dos Santos.- Participa na conferência New media and printmaking today gravura hoje.







Friday, June 27, 2014

AMI Art /// Lisboa




Dia 5 de Julho o AMIarte – Núcleo de Acção Cultural da Fundação AMI – inaugura a 3ª edição do projecto "ARTE URBANA NOS MUPIS LISBOA". Uma exposição que ficará patente entre os dias 2 de julho e 15 de julho. No dia da inauguração faremos o percurso num autocarro turístico que nos levará a cada um dos mupis com trabalhos desta exposição, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa. O autocarro parte às 15:00 da Praça da Figueira (topo Norte).
À semelhança do ano passado, a edição deste ano conta com a participação de 15 artistas plásticos que aceitaram o desafio. São eles: Alberto Pimenta, Albino Moura, Alfredo Luz, Cabral Nunes, Carlos Zíngaro, Eurico Gonçalves, Fernando Aguiar, Fernando Grade, Henrique Vaz Duarte, João Garcia Miguel, Jorge Pé Curto, Manuel João Vieira, Maria João Franco, Raquel Rocha e Vitor Rua. Curadoria: Carlos Cabral Nunes.

Estes trabalhos são oferecidos à Fundação AMI que, posteriormente serão vendidos num jantar-leilão a realizar em data e local a definir.

video


 Informamos  que, a partir do dia 3 de Julho até ao dia 10 será passado no Canal Lisboa,(painéis informativos do Turismo de Lisboa espalhados pela cidade) um pequeno spot informativo do projecto "Arte Urbana em Muppis Lisboa"




 LOCAIS
·         Rua Artilharia Um – TEM 2 no  Terraplano central
·         Av. Liberdade esquina com a trav. da Gloria
·         Av. Liberdade terraplano central direcção Rossio
·         Av. Liberdade frente nº 262
·         Av. Liberdade frente. Nº 145,
·         Av. Liberdade esquina Rua Machado
·         Av. Liberdade 300m antes Calçada da Gloria,
·         Av. Liberdade lateral direito,
·         Largo do Rato,
·         Rua Sampaio Pina
·         Av. Joaquim António Aguiar esquina Rua Castilho
·         Rua  Alexandre Herculano esquina Camilo Castelo Branco
·         Rua Artilharia um esquina Av. Joaquim António A. Aguiar  
·         Av. Pedro Alvares Cabral esquina trav. santa. Quitéria 





AMIarte
Paula Ppinto
Isabel Damião

Email: amiarte@ami.org.pt
Tlf: 225100701

Wednesday, June 18, 2014

O CERCO de António da Cunha Telles na CINEMATECA NACIONAL


Miguel Franco (Vitor Lopes) em O CERCO numa cena com Maria Cabral (Marta)

http://www.cinemateca.pt/Cinemateca/Noticias/Antonio-da-Cunha-Telles---retrospetiva-em-junho-e-.aspx
https://www.youtube.com/watch?v=24n3doXccSE

CINEMATECA NACIONAL - programação
O CERCO
de António da Cunha Telles
com Maria Cabral, Miguel Franco,









 Ruy de Carvalho,  Zita Duarte, Lia Gama, Manuela Maria, Armando Cortez, 
Mário Jacques, David Hudson
Portugal, 1970 – 115 min | M/12
com a presença de António da Cunha Telles
Eco tardio do Cinema Novo português dos anos sessenta (foi
realizado com película 35mm vinda da rodagem de MUDAR DE
VIDA de Paulo Rocha), o fi lme em que Cunha Telles se estreou
no duplo papel de argumentista e realizador foi também o
fi lme que revelou a extraordinária fotogenia de Maria Cabral,
aqui no papel de uma personagem que atravessa o fi lme, tão
cercada com a cidade com que a sua história se mistura: Lisboa,
1969. Produção Cinenovo Filmes, com produção executiva de
Virgílio Correia, tem fotografi a de Acácio de Almeida e música
de António Victorino d’Almeida.

 Apresentado em Cannes
em maio de 1970, foi um grande sucesso público do cinema
português dos anos setenta.

SEG. [16] 21:30 | SALA DR. FÉLIX RIBEIRO

Tuesday, June 17, 2014

MAC-Movimento Arte Contemporânea /20º aniversário

Foto: O MAC – Movimento Arte Contemporânea, tem 
a honra de convidar V. Exa para a inauguração da 
Exposição coletiva de artes plásticas, comemorativa do 
nosso 20º Aniversário, a realizar no dia 27 de junho 
de 2014 das 18h30 às 20h30, na Av. Álvares Cabral, 
58-60, em Lisboa, onde terá lugar a cerimónia de 
entrega dos Prémios MAC’2012/2014.


 MAC
 Movimento Arte Contemporânea
 20º aniversário


Inauguração da 
Exposição colectiva de artes plásticas, comemorativa do 
 20º Aniversário, a realizar no dia 27 de junho 
de 2014 das 18h30 às 20h30,
na Av. Álvares Cabral, 58-60, em Lisboa,
 onde terá lugar a cerimónia de 
entrega dos Prémios MAC’2012/2014.


Artistas em exposição no aniversário do MAC


Alberto Gordilo / Alfred Opitz / António Carmo / Artur Bual / Augusto Barros / Cruzeiro Seixas / Erró / Fernando d. F’ Pereira / Gil Teixeira Lopes/ Graciete Rosa Rosa / Guilherme Parente / Hilário Teixeira Lopes / João Duarte / João Vieira / Juan Sánchez / Júlio Resende / Lourdes Leite / Luisa Nogueira Malangatana / Maria João Franco / Marília Viegas / Mário Cesariny / Matilde Marçal / Miguel Barros / Paula Rego / Paulo Canilhas / Querumbim Lapa / Rafael Canogar / Ricardo Paula / Roberto Chichorro / Rogério Ribeiro / Saulo Silveira / Teresa Mendonça / Tomás Mateus / Vieira da Silva.

ALTAR DOS DIAS de MARIA JOÃO FRANCO e LIMITES PARA UM NOVO AMANHECER de TERESA MENDONÇA



Estão a decorrer na ARC16 galeria em Faro


 as exposições de


Altar dos dias


limites para um novo amanhecer





As mostras estarão patentes ao público até 27 de Julho de 2014.

dentro do horário normal da galeria.


Para marcação marque 961529697






Monday, June 9, 2014


ALTAR DOS DIAS

de 


 inaugura a 14 junho de  2014
 na ARC16 - Rua de Sã Luis 82, Faro 
pelas 19 horas





ALTAR DOS DIAS
Olhamos, assombrados. Olhamos e assalta-nos a incerteza da percepção, num desejo de baixar as pálpebras. Olhamos assim, em instantes de cegueira, a sombra que nos esconde o visível. Decidimos então não baixar a cabeça, não fechar os olhos, e os fantasmas desta pintura, por vezes petrificados, por vezes renascendo em raízes de árvores tombadas, iluminam-se dentro de nós, passando pela retina e selecionando-se no bloco cerebral da visão, entre milhões de outras imagens decorrentes do que percepcionamos dia a dia, porventura no fundo dos próprios sonhos.
De uma aparência por vezes sombria, esta arrebatadora pintura de Maria João Franco, aliás como nos próprios desenhos, agrega em cada apresentação conjuntos de iluminações — um intenso desejo de clarificar as metamorfoses interiores do ver e do ser, memória trágica e romântica que emerge dos nervos sob a pele e se propaga num espaço feito de coisas quase sempre inomináveis, indiciando diversas aparições do mundo, gente e bichos, corpos aparentemente amputados ou de cabeças ao alto, talvez gritando, como que mostrando o vale torturado antes da vida emergir dessa cova cósmica. Tudo parece lítico, modelado por uma civilização pós apocalipse, mas o saber daquelas forças registadas na tela obriga-nos a ressuscitar depois do próprio século XX. E então tudo se aproxima do olhar aberto, da obra aberta, ainda que ligeiramente tocada por morfologias de algum Prometeu agrilhoado, de algum Cristo crucificado, de algum Dilúvio capaz de arrancar quase todas as raízes da terra, deixando-as escancaradas e de hastes ao alto. É verdade que esta visão parece não exprimir a arte destroçada do século XX, essa colossal «soma de destruições», mas é daí e da Bíblia relida que tudo se espalha por este mundo nocturno a crescer entre desastres para nos atormentar um pouco ao jeito das obras aqui expostas, de ontem ou de hoje, denegando a tecnologia de ponta e gritando, da dor dos cortes e das metamorfoses kafkianas, o medo do colapso na contracção futura do Universo sobre si mesmo, até ao nada.
A inquietante paisagem que estes quadros formam entre si, agrupáveis por partes de possíveis semelhanças morfológicas e gráficas, é uma espécie de memória do futuro, uma forma humana fechada sobre si ou sentada em concha, na hora de um parto solitário; é também a narrativa da crise social, farrapos de gente, enforcados suspensos do nada, cãos ou lobos farejando por baixo; e a par dos riscos que reescrevem gestos, é ainda o indício gráfico do grito ou do chamamento; depois (ou antes) os troncos tombados de árvores centenárias, talvez petrificadas no espaço onde as rochas ficaram nuas, texturais, endurecidas pela luz forte dos incêndios em volta.
Claro que a arte não explicada nada, nem mesmo quando ilustra as encenações do visível ou retrata impossivelmente os santos que nunca existiram: ainda assim é dentro da sua reinvenção das coisas e dos seres que podemos palpitar ao sentir as rasuras que nos fazem prever o infinito ou nos inventam, a morte pelo homem na crucificação reformulada por Grunewald: é desse universo que vem o futuro, com os seus mortos de ontem.

Rocha de Sousa